Índice deste artigo:

Testículo RetrátilO que é testículo retrátil?

É a situação clínica em que o testículo, que está no escroto, migra temporariamente para a região inguinal. Pode ser observado em meninos desde a fase de lactentes até o início da puberdade, envolvendo uma ou ambas as gônadas.

  

Quais as causas?

O cordão testicular (que é o pedículo ao qual está ligado o testículo e contém a artéria e veia testiculares e o canal deferente) está envolto por um músculo denominado cremáster. As causas mais comuns de testículo retrátil são os estímulos que contraem esse músculo (chamado de reflexo cremastérico), tracionando para cima o cordão inguinal e a gônada, para fora do escroto, geralmente para a região inguinal. O reflexo cremastérico pode ser desencadeado pela preensão leve da pele da face interna da coxa ou por baixas temperaturas, por exemplo. A intensidade da mobilidade do testículo em resposta ao reflexo cremastérico é variável, não necessariamente fazendo-o sair totalmente do escroto.

 

Como identificar?

O meio mais fácil de identificar o testículo retrátil é pela observação e palpação da gônada. Deixar a criança deitada, descontraída, confirmando a presença do(s) testículo(s) na bolsa e, a seguir, estimular o reflexo cremastérico pela preensão leve da pele da face interna da coxa, próxima ao escroto. Se o testículo for retrátil, é geralmente fácil observar sua movimentação. Entretanto, em crianças mais “gordinhas” isso pode não ser tão fácil, sendo então necessária uma consulta com urologista.

Publicidade

Calcule seu IMC