Publicidade
Idmed
Emergência
Prontuário online

O seu prontuário eletrônico

Um serviço totalmente gratuito que armazena o seu prontuário médico na internet. É possível armazenar medicamentos habituais, vacinas aplicadas, cirurgias realizadas, alergias, doenças e outros dados ligados à saúde, além do contato dos familiares em caso de emergências.

Última atualização: 30/07/14
Facebook Idmed Twitter Idmed
Saúde de
A a Z
A  B  C  D  E  F  G  H  I  J  K  L  M  N  O  P  Q  R  S  T  U  V  W  X  Y  Z

PDF
Imprimir
E-mail
Escrito por Prof. Dr. Silvio Tucci Junior
Qua, 29 de Julho de 2009 18:32

Nesta matéria:
« Anterior Próximo »

Testículo RetrátilO que é testículo retrátil?

É a situação clínica em que o testículo, que está no escroto, migra temporariamente para a região inguinal. Pode ser observado em meninos desde a fase de lactentes até o início da puberdade, envolvendo uma ou ambas as gônadas.

  

Quais as causas?

O cordão testicular (que é o pedículo ao qual está ligado o testículo e contém a artéria e veia testiculares e o canal deferente) está envolto por um músculo denominado cremáster. As causas mais comuns de testículo retrátil são os estímulos que contraem esse músculo (chamado de reflexo cremastérico), tracionando para cima o cordão inguinal e a gônada, para fora do escroto, geralmente para a região inguinal. O reflexo cremastérico pode ser desencadeado pela preensão leve da pele da face interna da coxa ou por baixas temperaturas, por exemplo. A intensidade da mobilidade do testículo em resposta ao reflexo cremastérico é variável, não necessariamente fazendo-o sair totalmente do escroto.

 

Como identificar?

O meio mais fácil de identificar o testículo retrátil é pela observação e palpação da gônada. Deixar a criança deitada, descontraída, confirmando a presença do(s) testículo(s) na bolsa e, a seguir, estimular o reflexo cremastérico pela preensão leve da pele da face interna da coxa, próxima ao escroto. Se o testículo for retrátil, é geralmente fácil observar sua movimentação. Entretanto, em crianças mais “gordinhas” isso pode não ser tão fácil, sendo então necessária uma consulta com urologista.

(Página 1 de 2)
«InícioAnterior12PróximoFim»



Matérias relacionadas


Mais acessadas desta seção



Publicidade 

Assine nossa newsletter

Nome
Email


Matérias mais acessadas do mês



© Copyright 2007 - 2014, Idmed - Patente requerida. Este programa de computador está protegido pela Lei de Direitos Autorais. O Idmed não fornece conselhos médicos, diagnósticos ou tratamentos. A informação presente em www.idmed.com.br pretende complementar, e não substituir, a relação existente entre o doente / visitante do site e o seu médico. Sentindo qualquer sintoma procure imediatamente o seu médico ou posto de saúde mais próximo. Leia mais.