Publicidade
Idmed
Emergência
Prontuário online

O seu prontuário eletrônico

Um serviço totalmente gratuito que armazena o seu prontuário médico na internet. É possível armazenar medicamentos habituais, vacinas aplicadas, cirurgias realizadas, alergias, doenças e outros dados ligados à saúde, além do contato dos familiares em caso de emergências.

Última atualização: 25/04/14
Facebook Idmed Twitter Idmed
Saúde de
A a Z
A  B  C  D  E  F  G  H  I  J  K  L  M  N  O  P  Q  R  S  T  U  V  W  X  Y  Z

PDF
Imprimir
E-mail
Escrito por Dr. Arthur Guilherme L.B.S. Augusto
Qua, 15 de Junho de 2011 14:01

olfato e paladarQuais são os níveis da perda olfativa?

Há vários níveis de perda olfativa, desde uma perda leve, moderada até total.

Anosmia é quando tem perda total.

Hiposmia é quando tem perdas menores, não totais. São perdas moderadas.

A parosmia é a alteração olfativa, uma distorção no olfato. A pessoa sente um cheiro e interpreta incorretamente.

  

O que causa as perdas olfativas?

Dividem-se as perdas olfativas em perdas de condução, em que a pessoa tem uma obstrução respiratória, e perdas sensoriais. A gripe pode dar uma perda olfativa por condução ou por lesão nas células receptoras da mucosa olfatória. A perda condutiva é causada por uma rinite alérgica ou um desvio de septo, por exemplo. A perda sensorial é a perda em que há lesão dos neurônios que estão na mucosa olfatória dentro da cavidade do nariz.

O vírus do resfriado ou da gripe pode destruir o neurônio olfatório, e ele pode ou não se regenerar. Ele tem uma vida útil de 30 dias mais ou menos. A gripe e o resfriado duram em média 7 dias. Se a pessoa teve uma lesão do neurônio olfatório e esse neurônio não se regenerou, ela pode manter essa perda olfativa por anos, ou nem recuperar. A perda olfativa pode levar 1, 2, 3 meses para voltar ao normal, às vezes anos, às vezes nunca mais volta.

 

Como é o tratamento?

A perda de olfato condutiva, causada por rinite alérgica ou desvio de septo, tem tratamento cirúrgico e tratamento clínico. Essas perdas olfativas pós-virais não têm um tratamento clínico estabelecido com confiança estatística.

(Página 1 de 3)
«InícioAnterior123PróximoFim»




Publicidade 

Assine nossa newsletter

Nome
Email


Matérias mais acessadas do mês



© Copyright 2007 - 2014, Idmed - Patente requerida. Este programa de computador está protegido pela Lei de Direitos Autorais. O Idmed não fornece conselhos médicos, diagnósticos ou tratamentos. A informação presente em www.idmed.com.br pretende complementar, e não substituir, a relação existente entre o doente / visitante do site e o seu médico. Sentindo qualquer sintoma procure imediatamente o seu médico ou posto de saúde mais próximo. Leia mais.