Publicidade
Idmed
Emergência
Prontuário online

O seu prontuário eletrônico

Um serviço totalmente gratuito que armazena o seu prontuário médico na internet. É possível armazenar medicamentos habituais, vacinas aplicadas, cirurgias realizadas, alergias, doenças e outros dados ligados à saúde, além do contato dos familiares em caso de emergências.

Última atualização: 24/04/14
Facebook Idmed Twitter Idmed
Saúde de
A a Z
A  B  C  D  E  F  G  H  I  J  K  L  M  N  O  P  Q  R  S  T  U  V  W  X  Y  Z

PDF
Imprimir
E-mail
Escrito por Dra. Denise Giacomo da Motta
Qui, 09 de Agosto de 2012 16:03

O que os estudos mais recentes apontam sobre o aspartame? Ele possui riscos para a saúde, como alguns estudos divulgados sugerem?

Para entender os riscos potenciais do aspartame, precisamos compreender o que acontece com ele dentro do nosso organismo. Depois de ingerido, o aspartame é digerido no trato digestório, liberando dois aminoácidos, ácido aspártico e fenilalanina, e o metanol. O ácido aspártico está presente naturalmente em alimentos que ingerimos e só seria prejudicial em quantidades muito acima da ingestão diária aceitável para o aspartame. A fenilalanina é um aminoácido essencial, presente naturalmente nos alimentos fontes de proteínas, tanto animais como vegetais. Sua ingestão só é prejudicial para pessoas que têm uma intolerância específica, causada pela falta de uma enzima (essas pessoas têm a chamada "fenilcetonúria"). Embora seja uma doença pouco frequente, o alerta "contém fenilalanina" nos produtos com aspartame é necessário para que essas pessoas não os consumam. Mas vale mencionar que carnes, peixes, frango, feijão, arroz, laticínios e até algumas verduras, legumes e frutas contêm fenilalanina, em quantidades variáveis, maiores que as contidas no aspartame. Os alimentos in natura não têm rótulos, os industrializados os têm, e neles é obrigatório constar essa informação de alerta. Logo, desde que não sejamos fenilcetonúricos, não precisamos nos preocupar com o ácido aspártico e a fenilalanina do aspartame, utilizado sem excessos.

E quanto ao metanol? Dados divulgados pela Anvisa mostram que a quantidade de metanol proveniente do aspartame contido em uma lata de refrigerante (350 ml) equivale à quantidade liberada pelo mesmo volume de suco de laranja e de maçã, sendo de 4 a 6 vezes inferior àquela presente no suco de tomate e de uva. Mesmo ingerindo o aspartame na quantidade máxima aceitável, a ingestão de metanol seria 200 vezes menor que a considerada tóxica dessa substância.

Em termos práticos, a quantidade máxima de aspartame que um adulto com 60 kg pode ingerir diariamente, com segurança, é de 2.400 mg, o que equivale, aproximadamente, ao consumo de 48 envelopes de 1 g de um adoçante dietético com 5% de aspartame, ou a 4 litros de refrigerante adoçado apenas com aspartame. No caso de uma criança com 30 kg, as quantidades máximas correspondem a 24 envelopes do mesmo adoçante ou a 2 litros de refrigerante.

(Página 2 de 5)
«InícioAnterior12345PróximoFim»



Matérias relacionadas


Mais acessadas desta seção



Publicidade 

Assine nossa newsletter

Nome
Email


Matérias mais acessadas do mês



© Copyright 2007 - 2014, Idmed - Patente requerida. Este programa de computador está protegido pela Lei de Direitos Autorais. O Idmed não fornece conselhos médicos, diagnósticos ou tratamentos. A informação presente em www.idmed.com.br pretende complementar, e não substituir, a relação existente entre o doente / visitante do site e o seu médico. Sentindo qualquer sintoma procure imediatamente o seu médico ou posto de saúde mais próximo. Leia mais.